What I’ve learned 1 year into the pandemic

A year ago today, the global boss of the company I work for sent all employees an email saying that we should all work from home with immediate effect, even if governments in individual countries (like the UK) weren’t implementing that.

It would be a week or so until the UK would go into a lockdown but for me, the 16th March was the start of a new chapter. Before that, we’d only been allowed to work from home very occasionally and if absolutely necessary – now it’s become the norm.

The past year has thrown challenges at everyone, and I’ve been reflecting on the things I learned…

Uncertainty is a part of life

When I moved abroad years ago, I did so because I knew I could be back home in a few short hours if there was ever an emergency. The pandemic has of course changed that. For the first few months of lockdown I was in the UK on my own and while I was fine it weighed heavy on me to know that I couldn’t just come home when I wanted. Right now, the uncertainty is even bigger – I don’t know when I’ll be able to go back to the UK and when I do, if/when I’ll be able to come back for a visit. It’s heartbreaking to think about.

Family is everything

I have been incredibly lucky over the course of the past year to have been able to come to Portugal and spend several months with my parents. I’ve been so relieved to be able to hug my parents and spend time with them – and worry every day about how hard it will be if/when I get back to London.

Cardio Machines are good investments

For the past few months at home I’ve been using the elliptical machine I had left at my parents’ as my main form of exercise and it’s been such a life saver! I can get my daily dose of cardio without leaving the house, and split it across the day – it’s definitely an investment I plan to make in London when I’m back.

A decent WFH set up is a must

While I was in London, my WFH set up was my kitchen table and chairs. It was impractical and uncomfortable. Here in Portugal, though, I have a desk and a decent chair – it’s much better for my back & posture and actually improves my productivity! Next step will be investing in good set up for London, and a bigger screen too.

Flowers are essentials

One thing that brought me joy through lockdowns and restrictions in the past year, was having flowers in the house. Whether it was deliveries of beautiful bouquets in London, dried flowers from one of my favourite florists in Lisbon or more recently a bunch of fresh white carnations – they’re an immediate mood boost.

What have been your biggest takeaways from the last year?

T x

Há um ano atrás, o presidente (a nível global) da empresa para a qual trabalho mandou um e-mail para todos os funcionários a dizer que devíamos todos trabalhar de casa com efeito imediato, mesmo se os governos locais (como o do Reino Unido) não estivessem ainda a implementar o confinamento.

Só perto de semana depois é que o Reino Unido entrava em Lockdown, mas para mim, o dia 16 de Março foi o começo de um novo capítulo. Até então, so podíamos trabalhar de casa em situações especiais e só se fosse mesmo preciso – agora é a norma.

O último ano lançou desafios a todos, e tenho estado a pensar no que aprendi…

A incerteza faz parte da vida

Quando me mudei para o estrangeiro há anos atrás, fi-lo porque sabia que podia estar em casa em poucas horas se alguma vez houvesse uma emergência. A pandemia mudou isso, claro. Nos primeiros meses de lockdown fiquei em Londres sozinha e apesar de estar bem, pesava saber que não podia vir a casa e ver os meus pais quando quisesse. Actualmente a incerteza é ainda maior – não sei quando vou poder voltar ao Reino Unido e quando for, não sei se/quando vou poder voltar para ver os meus Pais. É muito triste pensar nisso.

Família é tudo

Tenho tido imensa sorte no último ano de poder vir a Portugal e passar vários meses com os meus Pais. É um alívio muito grande poder estar com os meus Pais e abraçá-los – e preocupa-me todos os dias quão difícil vai ser o regresso a Londres.

Máquinas de Cardio são bons investimentos

Nas últimas semanas em Portugal tenho usado a elíptica, que deixei cá há anos, como a minha forma principal de exercício e tem sido uma maravilha! Posso fazer exercício diariamente sem sair de casa e dividir ao longo do dia – é um investimento que quero fazer em Londres quando voltar.

Bom set up para trabalhar de casa é essencial

Enquanto estive em Londres, o meu escritório era a mesa da cozinha. Era pouco prático e desconfortável. Já cá em Portugal tenho uma secretária e uma boa cadeira – muito melhor para as costas e a postura e ainda por cima melhora muito a minha produtividade! Quando voltar para Londres tenho de investir numa secretária e cadeira e também num ecrã grande.

Flores são essenciais

Uma coisa que me traz imensa felicidade entre lockdowns e restrições no último ano, é ter flores em casa. Fossem entregas de bouquets em Londres, flores secas da minha florista preferida em Lisboa ou mais recentemente um ramo de cravos brancos – animam-me logo.

E vocês, o que aprenderam no último ano?

T x

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.