Oscar movies to see #2

Good morning! Ok, so we’re just a couple of days away from the Oscar ceremony and I have seen almost all of the films nominated for Best Picture (plus a couple of extras). In today’s post I’m sharing some of my thoughts on the last few movies I crossed off the list.

Bom dia! Ok, já só faltam alguns dias para a cerimónia dos Óscares e já vi quase todos os nomeados para Melhor Filme (mais alguns extras). No post de hoje partilho convosco o que achei dos últimos filmes que risquei da lista.

You’ll notice a theme in today’s film selection: they’re all about African-Americans, in different parts of History and with different paths, but hugely interesting and necessary stories to be told. It wasn’t planned, but worked out nicely as I do think it is more and more important to tell the stories of minority groups in film.

Talvez notem um tema nos filmes do post de hoje: são todos sobre afro-americanos, em partes diferentes da História, com percursos distintos e histórias que precisavam de ser contadas. Não foi planeado, mas falhou bem até porque eu acho que é cada vez mais importante contar histórias dos grupos minoritários no cinema.

Let’s begin…

Comecemos…

Hidden Figures

source: facebook.com/hiddenfigures

I was absolutely blown away by this film. Not only because I was always fascinated by Space and astronauts, but also because of how truly inspiring the story is. Women, and not just any women, African-American women, were instrumental to the Space Race in the US, and this film tells their story. 

Fiquei super impressionada com este filme. Não só porque o Espaço e os astronautas sempre me fascinaram, mas porque a história é verdadeiramente inspiradora. Algumas mulheres, especificamente mulheres afro-americanas, foram essenciais para a corrida ao Espaço dos EUA e este filme conta a sua história.

The characters are strong, complex and so charismatic. The idea of standing up for yourself and demonstrating your value through your actions (and work) rather than anything else shines through and inspires. Hidden Figures deals with a topic that is still so important today, equality between all people, in a powerful but also endearing way. You cheer, cry, cheer some more, and cry some more. And you realise how far we’ve come, which means we cannot allow the world to go back. I honestly felt like giving a little fist pump at the end.

As personagens são fortes, complexas e carismáticas. A ideia de nos defendermos e demonstrarmos o nosso valor através das nossas acções e trabalho está presente durante todo o filme e é inspiradora. Hidden Figures lida com um tópico que ainda é tão relevante nos dias que correm, a igualdade entre todas as pessoas, de uma forma poderosa mas também enternecedora. Torcemos, choramos, torcemos mais um bocado e choramos mais um bocado. E notamos que, enquanto Humanidade, já fizemos tantos progressos, pelo que não podemos deixar que o mundo volte atrás. A sério que me apeteceu fazer um “fist pump” no fim.

Taraji P. Henson, Octavia Spencer and Janelle Monae are absolutely incredible, and I cannot believe one of them wasn’t nominated for Best Actress. 

Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Janelle Monae  estão absolutamente incríveis neste filme, e não consigo perceber como é que pelo menos uma delas não foi nomeada para o Oscar de Melhor Actriz Principal.  

13th

source: facebook.com/13thnetflix

Ok so this one is a documentary, but it’s still nominated for an Oscar and it’s most definitely worth talking about. Ava DuVernay, the extraordinary woman behind Selma, directed, co-wrote and co-produced this Netflix documentary about how the US’ criminal justice system conveniently became an extension of slavery and Jim Crow segregation laws.

Ok, este tecnicamente é um documentário, mas está nomeado para um Oscar e merece mesmo que se fale sobre ele. Ava DuVernay, a mulher extraordinária que realizou Selma, realizou, e foi co-autora e co-produtora deste documentário do Netflix sobre como o sistema de justiça criminal dos EUA se tornou uma extensão conveniente da escravatura e das leis de segregação conhecidas como Jim Crow.

It’s heavy, it’s shocking, it’s emotionally violent, but so it should be. It’s highlighting how the system has interpreted something that is in the US Constitution to keep minorities, particularly African-Americans, outside of civic life. It’s horrible, and genuinely sickening and revolting. And therefore, as a documentary, it is phenomenal. Watch it. 

É pesado, chocante, emocionalmente violento, mas não podia ser de outra forma. Destaca como o sistema interpretou algo que está a Constituição dos EUA para manter as minorias, nomeadamente os afro-americanos, fora da vida cívica. É horrível e verdadeiramente ultrajante. E como tal, sendo um documentário, é fenomenal. Vale a pena ver.

Moonlight

source: facebook.com/moonlightUK

I confess I was disappointed by Moonlight, which has been hailed as a masterpiece in movie making and storytelling. Unfortunately I didn’t really connect to it. Thought the story was patchy, didn’t feel a true continuity there, and didn’t feel a particular empathy for the main character, at any stage through the story. Overall, found it quite boring.

Confesso que fiquei desiludida com Moonlight, que tem sido falado como uma obra prima do cinema. Infelizmente não senti uma ligação com o filme. Achei que a história não tinha uma boa sequência, não achei que a continuidade fosse conseguida e não senti particular empatia com o personagem principal, em nenhuma das fases da história. No geral, achei o filme um bocado chato.

Mahershala Ali’s character was the best part of the film for me. A defining person in the character’s life, he is both kind and caring but also conflicted. Don’t quite think it’s a Best Supporting Actor performance though, his time on screen does not allow for this.

O personagem de Mahershala Ali foi a melhor parte do filme para mim. Uma pessoa marcante na vida do personagem principal, é ao mesmo tempo gentil e preocupado, e também confuso. Não acho, no entanto, que seja uma actuação que valha o Oscar de Melhor Actor Secundário, o tempo que está em cena não chega para isso.

Fences

source: facebook.com/fencesmovie

Denzel Washington directs the story of Troy Maxson (whom he also plays) and his family, and through them we see the ups and downs of the life of an African-American family in 1950s Pittsburg.

Denzel Washington realiza a história de Troy Maxson (a quem também da vida) e da sua família, e através deles vemos os altos e baixos da vida de uma família afro-americana na Pittsburg dos anos 50.

In a really moving and eloquent way, the movie deals with issues like racial discrimination, family dynamics and expectations, and the difficulty to accept the changing times. The dialogue is fantastically written – so beautiful! 

De uma forma muito comovedora e eloquente, o filme fala de questões como a descriminação racial, as dinâmicas e expectativas familiares e a dificuldade em aceitar as mudanças trazidas pelo tempo. Os diálogos estão tão bem escritos – émsao lindíssimos!

And the acting is perfect. Denzel brings the character of an ordinary African-American man to the spotlight with raw emotion and honesty. Viola Davis as Rose is phenomenal: her grace and ability to deal with issues with huge strength and self-respect, her ability to keep the peace among the family. She’s an example of so many other women who did the same and whose stories needed to be told too. I’m hoping (and keeping my fingers crossed) for Oscar wins for the two actors in their respective categories.

E as actuações são perfeitas. Denzel dá vida ao personagem, um afro-americano comum com imensa honestidade e emoção crua. Viola Davis como Rose é fenomenal: lida com os problemas com uma graça, força e auto-respeito, e tem uma habilidade de manter a paz dentro da família. É um exemplo de tantas mulheres que fizeram (e fazem) o mesmo, e cujas histórias também precisam de ser contadas. Estou a torcer por Oscares para os dois actores nas respectivas categorias.

📽

So, with only a few days to go to the Oscars, I’ve seen 8 out of 9 Best Picture nominees, plus one film nominated for Best Actress in a Leading Role (Jackie) and one up for Best Documentary Feature (13th). The only one I’m missing is Arrival but I might try to catch that over the weekend.

Portanto, com apenas uns dias até aos Oscares, vi 8 dos 9 nomeados para Melhor Filme; mais um nomeado para Melhor Actriz (Jackie) e um para Melhor Documentário (13th). Está-me a faltar o Arrival, mas talvez ainda consiga ver no fim-de-semana.

The Oscars will be held on Sunday live from LA, so the ceremony should start around 1.30am UK time. Looking forward to a great show with Jimmy Kimmel hosting.

Os Oscares terão lugar no domingo à noite, ao vivo de Los Angeles, por isso a cerimónia deve começar por volta da 1.30 da manha hora de Lisboa. Estou ansiosa por uma boa cerimónia com o Jimmy Kimmel a apresentar.

Let me know who your favourite for Best Picture is this year and why, down in the comments, I’d love to know!

Digam-me abaixo qual o vosso favorito para Melhor Filme este ano e porquê, adorava saber!

T x 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *