Alfacinha pela Europa #1

Para aproveitar os vários fins-de-semana prolongados que existem no Reino Unido entre a Páscoa e o final de Agosto, gosto (quando posso, claro) de planear viagens a diferentes cidades, para ir conhecendo um bocado mais dos vários países do velho continente.

Claro que ainda há imensas para riscar da lista, mas tinha de começar por algum lado: até agora já explorei Paris, Bruxelas, Amsterdão e Berlim.

Pensei então em fazer um mini-guia e falar-vos dos meus sítios preferidos nas várias cidades.

Começo por Paris, cidade pela qual morri de amores. Já lá fui algumas vezes e portanto explorei mais em Paris do que nas outras cidades. Aqui ficam os meus pontos preferidos.


Como chegar:

Partindo de Londres, a melhor maneira de chegar a Paris é pelo Eurostar. Eu cá adoro andar de comboio de qualquer modo e toda a experiência de ir de comboio para outro país tem o seu quê de mágico!

Demora cerca de duas horas e meia e chega à Gare du Nord.

Onde jantar:

Bem, estamos a falar de França – há comida maravilhosa a cada esquina! Mas da primeira vez que fui a Paris sozinha fui jantar a um restaurante barato, onde se come e fica a chorar por mais, com um ambiente espectacular e uma decoração lindíssima: chama-se Bouillon Chartier, fica na Rue du Faubourg Montmartre e é um pedaço de História, tendo sido inaugurado em 1896!
O único “senão” é ter de se ir bastante cedo, ou então arriscar esperar numa fila bem grande durante algum tempo. Eu nunca tive esse problema porque como começo os dias cedo, chego às 18h sem poder dar mais um passo! Fraquinha, eu sei, mas anda-se muito…

A não perder:

Primeiro, o clássico: O Louvre. Um palácio grandioso e lindíssimo, com obras de arte de cortar a respiração…ah e também lá está a Mona Lisa! Quando fui tive a sorte de apanhar o primeiro domingo do mês, quando a entrada nos museus é livre. Ao chegar, cerca das 9.30h, a fila estava já assustadoramente grande, mas em 30minutos ou menos já estava dentro do museu, que estava praticamente vazio – se puderem fazer o mesmo, recomendo!

Depois há o fabuloso Musée d’Orsay. Localizado na margem esquerda do Rio Sena, o museu fica numa antiga estação de comboios. Com colecções variadas de decoração art nouveau e art déco (*corações a saltar dos olhos*), quadros de pintores geniais, daqueles que só vemos nos livros de História no liceu, e uma varanda no cimo com uma vista fenomenal sobre a cidade, este é um dos pontos obrigatórios. Digo-vos já que, embora não seja uma enorme conhecedora de arte, até fiquei emocionada ao ver quadros de Van Gogh ao vivo. É fantástico.

O meu museu preferido em Paris fica do outro lado do rio, no final do Jardin des Tuileries e chama-se Musée de l’Orangerie. Nele podemos encontrar duas salas com os famosíssimos quadros de Monet, Os Nenúfares, que são, desde que me lembro, os meus quadros preferidos. 

É possível que isto tenha sido influenciado por uns desenhos-animados sobre uma rapariga que visitava a casa de Monet, onde se encontra o lago dos nenúfares que serviu de inspiração aos quadros…

Claro que com toda a minha ligação a estes quadros, este ia ser um ponto obrigatório, mas mesmo sem isso, é um excelente museu, num sítio muito bonito, que vale não só pelas salas dos Nenúfares pensadas pelo próprio Monet como pelas outras obras que lá se encontram.

Para explorar:

Sou da opinião que as cidades se veêm melhor quando andamos a passear por elas a pé, quase sem rumo. Da última vez que estive em Paris, devo ter dado a volta à zona central toda a pé – no fim mal podia andar, mas era capaz de ir dar outra volta no dia seguinte, se tivesse tido tempo. Adoro! Aqui ficam as minhas zonas preferidas.

A zona de Montmartre é encantadora, com recantos da Paris antiga, imortalizada por Charles Aznavour em La Bohème.

Paris vista do Sacre-Coeur tira a respiração (o que nada tem a ver com a quantidade imensa de degraus que se tem de subir para lá chegar. Ufa!) e a Place du Tertre com os seus artistas é um bocado de tradição!

Também encontramos nesta zona, mais particularmente na Rue Lepic, o Café des Deux Moulins, onde trabalha Amélie Poulain e, um pouco mais abaixo, o Moulin Rouge.

Igualmente captivante é a zona de Saint Germain des Prés, na Rive Gauche. Para mim, foi fascinante passear ou tomar café por onde já andaram Pablo Picasso ou Ernest Hemingway – Muito Midnight in Paris, só faltou a viagem no tempo (quem me dera)!!

A Boulevard Saint Germain é muito comprida e nela se encontram locais famosos como o Café de Flore, les Deux Magots ou a Brasserie Lipp. Foi nesta última, que consta ser uma das brasseries preferidas de Hemingway, que tive a sorte (obrigada Pais!) de celebrar os meus 29 anos, em 2013. Recomendo muito!

Finalmente, sugiro um passeio sem mapa pelas ruas labirínticas de outro bairro maravilhoso: Le Marais. Lá se encontram lojas de todas as espécies: desde pequenas lojas independentes, até às lojas de marcas mais conhecidas como Bensimon, Zadig&Voltaire, Make Up For Ever, entre outras, passando por cafés, padarias e restaurantes que dão fome só de pensar. Vale mesmo a pena! Ah, e é um dos poucos sítios em Paris onde há lojas abertas ao domingo!

Estas foram só algumas das minhas coisas preferidas em Paris, mas há ainda muito para ser explorado!

Espero que tenham gostado, se tiverem sugestōes de sítios a explorar ou viagens a fazer, deixem-nas nos comentários abaixo.

T xx

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.